O Valor da Liberdade (Portuguese Edition) ,

Paperback   GooglePlay   iBooks   Nook   Kobo   Scribd  

$2.99

Durante 6 anos vivi num país Comunista, a China, e até me custa a acreditar. Não é um país que aconselhe para viver. No entanto, aprendi bastante com a experiência. E, em alguns casos, desaprendi. O que quero dizer com isto é que, por exemplo, o conceito de liberdade é para mim hoje muito mais complexo do que antes. Como exemplo, os Europeus são livres, mas não são livres de dizer o que lhes apetece, porque as próprias pessoas do meio social censuram, portanto, acabam dizendo o que lhes permitem que digam. Basta ofender verbalmente alguém para perceber como a liberdade tem limites. A mesma coisa sucede quando se quer reclamar duma classificação escolar ou uma desadequação das regras políticas injustas e o próprio sistema nos fecha as portas.
Depois, existe a questão do dinheiro. Na Europa, as pessoas comportam-se como que não exista o suficiente para todos, e, como se pode compreender ao fim de algum tempo, os Europeus são extremamente egoístas e gananciosos.
Já o mesmo não se passa na China, em que as pessoas se interajudam sem cobrar amizades. E, embora seja estrangeiro, muitos Chineses já me ajudaram ao longo dos últimos anos sem cobrar nada em troca. Por outro lado, na Europa existe liberdade, mas não o dinheiro para usufruir dela. Na China até se pode viver uma autêntica ditadura, mas os Chineses viajam para onde querem e não têm dificuldade em encontrar emprego com boa remuneração.
O que quero dizer com isto é que a Política é uma ilusão. Se queremos realmente conhecer a liberdade, temos que olhar para a realidade, porque a verdade é que a liberdade dum Europeu tende a ser bem mais limitada do que aquela que se pode sentir na China.
Ao longo desta obra perceber-se-á porquê que os estilos de vida em ambos os locais podem ser tão diferentes, ainda assim mantendo os mesmos parâmetros condicionalistas.

Ask Us Anything!