A Legitimidade das Ciências da Educação (ebook)

A Legitimidade das Ciências da Educação (ebook)

Author: Neil Mars
$0.00
Descrição

“Não podemos compreender-nos fora da História. Não podemos conceber o historiador acima da história, pois o historiador é ele mesmo historizado” (Edgar Morin). Qualquer analise realizada ao significado da educação, obriga-nos a uma analise pessoa em simultâneo, nomeadamente, no que respeita aos nossos valores e objectivos, enquanto indivíduos e cidadãos. E actualmente, muito mais que antes, a ideia de uma pluralidade dos encaminhamentos históricos tem que estar associada ao pluralismo das culturas. A humanidade tem que evoluir como um conjunto unido.

Title A Legitimidade das Ciências da Educação (ebook)
Author Neil Mars
Type ebook

“Não podemos compreender-nos fora da História. Não podemos conceber o historiador acima da história, pois o historiador é ele mesmo historizado” (Edgar Morin). Qualquer analise realizada ao significado da educação, obriga-nos a uma analise pessoa em simultâneo, nomeadamente, no que respeita aos nossos valores e objectivos, enquanto indivíduos e cidadãos. E actualmente, muito mais que antes, a ideia de uma pluralidade dos encaminhamentos históricos tem que estar associada ao pluralismo das culturas. A humanidade tem que evoluir como um conjunto unido.

Este tipo de análise torna o confronto de diferentes perspectivas sociais inevitável, e é na educação que um acordo se torna possível.

Para Durkheim, “educação é a acção exercida pelas gerações adultas sobre as que ainda não estão maduras para a vida social, tendo, por objectivo, suscitar na criança um determinado número de estados físicos, intelectuais e morais que a sociedade política, no seu conjunto, e o meio social , ao qual está particularmente destinada, reclamam.” Já a Liga Internacional da Educação Nova considera a “educação como um conjunto de metodologias que visa favorecer o desenvolvimento tão completo quanto possível das aptidões de cada pessoa, simultaneamente como indivíduo e como membro de uma sociedade regida pela solidariedade. Para este movimento, a educação é inseparável da evolução social, constituindo uma das forças que a determinam.”

Por volta dos anos sessenta, parece poder estabelecer-se uma distinção do seguinte tipo: enquanto que a educação se prende com o campo da acção, a pedagogia encontra-se completamente voltada para o campo da reflexão. É, no entanto, inviável a sua completa separação, uma vez que a acção e o pensamento constituem duas faces de um mesmo processo. Esta última conclusão conduz a uma expressão aglutinadora dos dois conceitos que começa a espalhar-se: Ciências da Educação.

Nos últimos decénios, a noção de educação alargou-se, estabelecendo relações com as disciplinas científicas tradicionais. Tudo isto levará ao problema da autonomia das Ciências da Educação. As ciências da Educação têm sido nas últimas décadas alvo de muito investimento e investigação mas também de muitas críticas e contestação.

  1. O Conhecimento Científico como Objecto de Investigação
  2. As Dificuldades do Estudo Epistemológico
  3. A Relevância do Conhecimento Científico na Reflexão
  4. A Função e Objectivos da Ciência
  5. O Senso Comum no Estudo Científico
  6. As Limitações de Perspectiva na Ciência
  7. O Método Científico
  8. As Características do Conhecimento Científico
  9. O Ser Humano Enquanto Objecto de Indagação Científica
  10. A Função do Paradigma no Conhecimento Científico
  11. Investigação Quantitativa e Qualitativa nas Ciências Sociais
  12. As Vantagens da Investigação Qualitativa
  13. A Necessária Superação do Pensamento Paradigmático
  14. A Contextualização das Ciências da Educação
  15. O Pluralismo das Ciências da Educação
  16. A Complexidade da Investigação do Processo Educativo
  17. A Legitimidade das Ciências da Educação
  18. As Etapas na Evolução das Ciências da Educação
  19. O Carácter Multidimensional e Transdisciplinar das Ciências da Educação
  20. A Identidade Epistemológica das Ciências da Educação

    O Conhecimento Científico como Objecto de Investigação
    “Para definir uma disciplina é bom não esquecer que esta produz resultados (saber), mas também um discurso sobre ela mesma, porque para se construir ela deve validar-se, isto é, regular-se internamente e legitimar-se externamente” (Charlot, 1995:21). O discurso sobre ela mesma, é o discurso epistemológico.
    A epistemologia tende a ganhar importância nas épocas de crise da ciência. A sua reflexão moderna tem as suas origens na filosofia do século XVII e atinge um dos seus pontos altos em finais do século XIX, ou seja, no período que acompanha a emergência e a consolidação da sociedade industrial e assiste ao desenvolvimento espectacular da ciência e da técnica (Piaget, 1967:7; cit. por Boaventura Sousa Santos, 1998:17). Ela é o estudo ou ciência do conhecimento, ou seja, é usada em dois sentidos: para indicar o estudo da origem e do valor do conhecimento humano em geral; ou para significar o estudo das ciências (físicas e humanas), dos princípios sobre o qual se fundam, dos critérios de verificação e de verdade, do valor dos sentidos científicos.
    Por sua vez, para Ludovico Geymonat é a “disciplina que se propõe fazer o[…]

    Quando você compra o nosso livro, recebe todas estas variantes pelo mesmo preço:

    EPUB, PDF, MOBI.

    Advertisement